Notícias
< voltar

A Cigarra e a Formiga e a literatura infantil

26/11/2018

A Cigarra e a Formiga e a literatura infantil

Projeto tem por objetivo fazer com que pais, mães e adultos em geral despertem seu olhar diante da beleza dos livros ilustrados - e possam também compartilhar essas descobertas com seus filhos, alunos, bebês e crianças Que ninguém nasce lendo todo mundo sabe. Cabe aos adultos que convivem com crianças, desde que elas são bem pequenas, ensinar a elas o comportamento leitor. E a melhor forma de fazer isso é ler para para os pequenos, diariamente, com muito gosto e paixão. No entanto, nem sempre é fácil fazer uma curadoria de obras, principalmente quando se tem uma abundância delas no mercado. “Quando meu filho mais velho (hoje com 8 anos) nasceu, senti uma insegurança que muita mãe sente: não saber o que fazer, como brincar com aquele recém-nascido”, conta  a jornalista Daisy Carias, fundadora do blog A Cigarra e a Formiga, um espaço virtual de conteúdo sobre literatura infantil e ilustrada que já está no ar há 5 anos. “Então comecei a ler para ele os livros da minha infância. Logo fui buscar outros, e tive a surpresa de descobrir que não era fácil encontrar literatura infantil nas livrarias”, diz. A necessidade pessoal de Daisy e a possibilidade de juntar a sua paixão pelos livros ao ato de ajudar pais de todo o Brasil a escolher o que ler para os filhos deixaram a jornalista convicta de que A Cigarra e a Formiga seria um ambiente útil e de trocas constantes para muita gente. “A iniciativa é um canal competente que atende aos seus objetivos de levar a pais, mães e adultos em geral a despertarem seu olhar diante da beleza dos livros ilustrados, impactando diretamente os seus filhos. No ar há 5 anos, o blog traz conteúdos divertidos e dinâmicos, dando enfoque a dicas de livros e experiências leitoras”, diz Leonardo Neto, membro da comissão avaliadora do Prêmio IPL. A iniciativa possui também um canal no Youtube. “Utilizo a plataforma para criar vídeos divertidos e dinâmicos onde compartilho dicas de livros e experiências”, afirma Daisy. “Sou eu quem faço tudo: a roteirização, gravação e edição dos vídeos, além da escolha cuidadosa (e apaixonada!) dos livros indicados e meu maior resultado é o retorno que recebo de outras mães, pais, professores, professoras e até pessoas sem filhos que se encantam e despertam com o canal um olhar mais atento à literatura infantil”, diz.



Você também pode gostar