Notícias
< voltar

IPL e Itau Cultural na Flup 2019

10/10/2019

IPL e Itau Cultural na Flup 2019

Mesa de evento vencedor do Prêmio IPL em 2017 debate o papel da mulher negra no fomento à leitura Quais os grandes desafios da leitura no Brasil? Como fazer com que esse poderoso instrumento de mobilidade social chegue à periferia? Qual o papel da mulher, em particular da mulher negra, na formação de uma geração de leitores para além de políticas públicas inclusivas? Essas são as perguntas que norteiam a mesa de debates Por que Umas e Não Outras?. A ação é parte da programação da oitava edição da Festa Literária das Periferias (Flup), que acontece de 16 a 20 de outubro no Museu de Arte do Rio, na região central do Rio de Janeiro (RJ). Promovida pelo Itaú Cultural em parceria com o Instituto Pró-Livro (IPL), a mesa conta com a participação de Cidinha da Silva, Flávia Oliveira, Giovana Xavier e Márcia Licá. A mediação é de Ana Paula Lisboa. Além da mesa de debate, o Instituto Pró-Livro e o Itaú Cultural pretendem levantar o perfil dos visitantes da Festa Literária das Periferias de 2019, sobretudo no que diz respeito aos hábitos e ao perfil de leitura desse público. O mesmo mapeamento foi realizado na Bienal do Livro Rio 2019 – que aconteceu entre 30 de agosto e 8 de setembro –, e seguirá sendo feito na Flip 2020 e na 26ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontecem no próximo ano. O Itaú Cultural apoiará ainda a próxima edição da Retratos da Leitura no Brasil, pesquisa periódica do IPL, que tem por objetivo avaliar o comportamento do leitor do brasileiro. Conheça mais sobre as participantes: Cidinha da Silva é prosadora e editora. Tem 16 livros autorais de literatura publicados, entre eles: Um Exu em Nova York, # Parem de nos Matar! e Melhores Crônicas de Cidinha da Silva (volumes 1 e 2). Tem publicações em alemão, catalão, espanhol, francês, inglês e italiano. Flávia Oliveira tem 27 anos de experiência em jornalismo diário na cobertura de economia, indicadores sociais, empreendedorismo, desigualdades de gênero e raça e segurança pública. É membro de seis conselhos consultivos – entre eles o da Anistia Internacional Brasil e do Projeto Aliança – e integra a comissão de matriz africana do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Doutora em história social, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenadora do Grupo Intelectuais Negras, Giovana Xavier é autora do livro Você Pode Substituir Mulheres Negras como Objeto de Estudo por Mulheres Negras Contando Sua Própria História e organizadora do catálogo Intelectuais Negras Visíveis. Entre inúmeros projetos, assina a plataforma @pretadotora. Pedagoga e pós-graduada em literatura crítica para crianças, Márcia Licá é mobilizadora e educadora social. Coordenada a área de educação da Associação Vaga Lume, que apoia uma rede de mais de 90 bibliotecas comunitárias em comunidades rurais na região da Amazônia Legal Brasileira. Ana Paula Lisboa divide a vida entre o Rio de Janeiro e Luanda, onde dirige a Aláfia e a Casa Rede. Entre 2011 e 2017 coordenou a metodologia do projeto Agência de Redes para Juventude e em 2018 produziu e apresentou o web-programa Querendo Assunto. Escritora, publicou contos e poesias em coletâneas nacionais e internacionais e desde 2016 escreve periodicamente para a AzMina e para o Segundo Caderno do jornal O Globo. Mesa Itaú Cultural – Instituto Pró-Livro: Por que Umas e Não Outras? quarta 16 de outubro de 2019 às 18h [duração aproximada: 90 minutos] [100 pessoas – entrada gratuita, por ordem de chegada] Local Auditório do Museu de Arte do Rio Praça Mauá, Centro, Rio de Janeiro RJ



Você também pode gostar