Notícias
< voltar

Indicadores LEQT e seus impactos na SP Leituras

07/07/2020

Indicadores LEQT e seus impactos na SP Leituras
Em entrevista à Plataforma Pró-Livro, Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, e Giovanna Sant'Ana, gerente de projetos da mesma instituição, comentam a importância de fazer avaliações sistemáticas em bibliotecas e como os indicadores LEQT impactaram na gestão das iniciativas da SP Leituras

Como foi realizado o processo com os indicadores LEQT na sua instituição? Quais foram os principais resultados (tanto positivos como pontos de melhoria)?
SP Leituras, gestora da Biblioteca de São PauloBiblioteca Parque Villa-Lobos e Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Pauloentre outros projetos, participou do processo de avaliação acompanhada que aconteceu em duas etapas: exercício com base nas orientações encaminhadas e no estudo da publicação de 2018, com análise e identificação das questões mais adequadas nas cinco dimensões apresentadas no quadro de indicadores de bibliotecas públicas; e reunião com a consultoria da rede para aprofundar as considerações enviadas e trabalhar coletivamente para incorporá-las na plataforma. 
Como resultados positivos do processo, houve a aproximação com os parceiros e o trabalho desenvolvido pela Rede LEQT, bem como a geração de subsídios para novas práticas de avaliação na organização e para o planejamento, tentando integrar em diferentes ações os saberes existentes e os adquiridos. Além disso, a consolidação de um rol de indicadores qualitativos de leitura para bibliotecas possibilitará comparações e diálogos construtivos entre as organizações que as gerenciam.  
 
Por que sua instituição resolveu participar dele? Como eram feitos o monitoramento e a avaliação dos projetos anteriormente?
Desde 2012 a organização conta com o apoio de consultoria especializada em seu processo de monitoramento e avaliação. O esforço é investido para o desenvolvimento das equipes e da gestão como um todo, a fim de oferecer serviços cada vez melhores e de produzir mais impacto nos territórios onde atuamos. Desde então, a SP Leituras entende a avaliação como um dos principais processos para contribuir na constituição de espaços de reflexão que qualifiquem sua prática. 
Os relatórios anuais de qualidade estão disponíveis no site e sintetizam tanto o processo (principais temas debatidos com as equipes, escolha de foco e de estratégias de coleta de informações), como os resultados da avaliação (informações, aprendizados, achados, análises, etc.) e têm o objetivo de registrar tudo o que foi trabalhado entre as equipes no que concerne à avaliação.   
A SP Leituras entendeu a importância de participar do processo dos indicadores LEQT por enxergar as possibilidades de aprendizados sobre estratégias e resultados com outras instituições e também por acreditar que compartilhar metas e indicadores traz benefícios para a consecução da missão comum que temos na LEQT. Outro ponto significativo foi fortalecer o envolvimento das equipes de área fim na reflexão e no desenvolvimento institucional, promovendo mais um espaço de interlocução entre os gestores responsáveis pelas diferentes ações, de forma a alinhar visões e intenções.  
 
Qual foi a grande contribuição dos indicadores LEQT para a instituição?
Como iniciamos nossa participação na fase final do processo, os indicadores ainda não foram integralmente aplicados, mas entendemos que a incorporação de mais elementos qualitativos é crucial para a identificação: a) do sucesso em projetos de leitura; b) para o uso e a sistematização de indicadores de impacto;  c) o estudo e aprofundamento de outras metodologias de avaliação, para escutar e dialogar melhor com todo o campo cultural nacional.
 
Como os resultados dos indicadores permitem o aperfeiçoamento das ações desenvolvidas nos projetos? 
Os resultados podem demonstrar a qualidade das estratégias refletidas na capacitação dos profissionais envolvidos nos projetos, na dinamização dos espaços e no impacto institucional próprio e de organizações que tenham missões afins. Através da reflexão coletiva sobre estratégias e resultados alcançados no apoio à formação de comportamentos leitores podemos reavaliar, mudar, ou até reconstruir as ações mais eficazmente.
A metodologia atual adotada pela organização é permeada por três grandes etapas de trabalho: 1) Planejamento: define o objeto avaliado para o ano e os instrumentos de coleta; valida as estratégias e realiza análises parciais das informações. 2) Coletas periódicas: são transformadas em material fundante de análises aprofundadas e em relatórios. 3) Discussão do material produzido: gera reorientações às ações desenvolvidas e unidade de propósito.
Anual e sistematicamente, as áreas-fim e meio da SP Leituras dedicam-se aos processos avaliativos, com a realização de coletas de informações e encontros periódicos com os consultores externos. Matrizes, perguntas, dimensões e instrumentos mudam conforme a necessidade e garantem um conjunto de informações que dá subsídios para inferir resultados, além de possíveis questões que podem gerar novas estratégias.
 
Desde a implantação do sistema, quais foram os principais pontos de atenção que foram detectados e sanados? E de que forma? 
Além das considerações apresentadas durante o exercício inicial, entendemos que é necessário incluir exemplos e sugestões às perguntas que serão disponibilizadas na plataforma, para equalizar a compreensão das questões, gerando aplicações e resultados mais consistentes e comparáveis. 
 
Deixe uma recomendação aos projetos que a partir de agora poderão contar com os indicadores LEQT na plataforma e que ainda não estruturaram seus sistemas de avaliação ou que estão iniciando esse processo.
O monitoramento e a avaliação são processos de escuta e mediação e podem auxiliar na formalização e no reconhecimento de uma questão, ou demanda cultural e social.
Nos campos da leitura, literatura e biblioteca, além da diversidade de tipologia dos projetos, há muitos aspectos não mensuráveis, mas que também devem ser avaliados. Isto dificulta a construção e a consolidação de indicadores e requer instrumentos mais complexos para a avaliação dos programas. Dessa forma, a apropriação e o uso sistemático da plataforma pelos profissionais da área poderá apoiar o fortalecimento das redes de bibliotecas, além de potencializar e trazer maior efetividade, acesso e inovação às ações desenvolvidas.
Os processos avaliativos, ademais, têm funcionado como catalisadores para gerar espírito de equipe e identificação de propósitos organizacionais e pessoais.  



Você também pode gostar