Notícias
< voltar

Menções honrosas do Prêmio IPL 2018: conheça os homenageados

11/12/2018

Menções honrosas do Prêmio IPL 2018: conheça os homenageados

Saiba quais foram as duas organizações que mereceram destaque das entidades do livro e dos mantenedores do Instituto Pró-Livro Além de premiar projetos de incentivo à leitura de quatro categorias (cadeia produtiva do livro, organizações da sociedade civil, mídias e bibliotecas), a terceira edição do Prêmio IPL contou com homenagens para organizações eleitas pelas entidades do livro como destaques pelos trabalhos realizados. Receberam menções honrosas do IPL: Biblioteca do Parque Villa Lobos A biblioteca tem como público-alvo a comunidade ao redor, e busca construir, não para ela, mas com ela, uma experiência estimulante de biblioteca pública. Para tal, o foco do trabalho por lá desenvolvido são as pessoas. Toda a equipe da biblioteca assume para si o papel mediador como essência do trabalho, isto é, os funcionários são responsáveis por acompanhar e facilitar o contato entre o público e as instalações, tendo em vista que os afetos decorrentes deste encontro são os principais motores da vida de uma instituição cultural. O seu acervo é atualizado semanalmente, e a BVL conta ainda com suportes diversos para a promoção da leitura, além de equipamentos assistivos para inclusão de pessoas com deficiência. Ao longo do ano, a Biblioteca do Parque Villa Lobos também lança mão de uma ampla e diversificada programação de atividades culturais, atingindo a marca de cerca de 900 eventos nos doze meses em que opera. Todo o trabalho é fruto da consciência de que as bibliotecas públicas são os equipamentos culturais públicos com maior potencial agregador, seja pelo caráter intrínseco a sua missão – fazer circular os exemplares de um livro – seja porque, no âmbito de sua principal tarefa, circulam também muitas pessoas pelo seu território. Neste sentido, compreende-se que atentar para sua relevância é trabalhar em prol de sua transformação frente às novas demandas que a sociedade constrói a medida em que mudam os aparatos tecnológicos e as ferramentas através das quais promovemos nossa comunicação e nossos encontros. O seu projeto, desenvolvido como proposta de ocupação de um prédio já existente, é fruto das experiências da Biblioteca São Paulo e do Sistema Estadual de Bibliotecas, e foi apadrinhado pela Secretaria do Meio Ambiente e pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Hoje ela conta com expressivo público mensal de cerca de 10 mil pessoas, e recebe, mensalmente, cerca de 27.300 visitas. A circulação de seu acervo alcançou, em 2017, a marca de mais de 176 mil itens. Livro, literatura e biblioteca para todos, Mais Diferenças No campo do livro, da leitura e das bibliotecas, as poucas ações de democratização estão voltadas majoritariamente ao público com deficiência visual e/ou baseadas em concepções assistencialistas e limitantes a respeito da deficiência. A partir desse cenário, a Mais Diferenças criou uma metodologia pioneira de promoção do direito das pessoas com diferentes deficiências ao livro e à leitura em uma perspectiva inclusiva. Ela se dá, entre outras ações, por meio da produção de livros que reúnem na mesma obra narração e texto, audiodescrição, interpretação em Libras e Leitura Fácil. As obras têm financiamento público e privado e são disponibilizados gratuitamente às pessoas com deficiência, suas famílias e profissionais da educação e da cultura que atuam junto a este público. As iniciativas, portanto, envolvem os diferentes setores da sociedade, com foco na assessoria para políticas inclusivas, ações de incidência, mobilização comunitária, desenvolvimento de livros acessíveis, formações, pesquisa, monitoramento e avaliação, incluindo pessoas com e sem deficiência nas diferentes etapas. Dessa forma, o importante projeto contribui para a eliminação de barreiras e democratização do acesso ao livro e à leitura para todos, com equiparação de oportunidades e subsidia as bibliotecas com recursos e estratégias para promoção da acessibilidade e inclusão; além de contribuir com a formação de profissionais da educação, cultura e cadeia produtiva do livro nas temáticas de direitos humanos, acessibilidade e inclusão; Incidir nas políticas públicas, de modo a garantir e monitorar implementação dos marcos legais que tratam do tema.



Você também pode gostar