Notícias
< voltar

Retratos das Leituras na Criação Literária

02/09/2019

Retratos das Leituras na Criação Literária

Zoara Failla, do IPL, participa de debate sobre a importância da leitura na vida de crianças e adolescentes por meio dos dados das pesquisas desenvolvidas pelo Instituto Pró-Livro A Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro recebeu na manhã do dia 30 de agosto o debate Retratos das Leituras na Criação Literária, que reuniu a escritora Ana Paula Lisboa e o dramaturgo Walcyr Carrasco, com mediação da jornalista Bianca Ramoneda. A conversa abordou o triste diagnóstico levantado pela última edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil.  Zoara Failla, coordenadora da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro a cada quatro anos, abriu a conversa com alguns da última edição, realizada em 2015. A ação indicou, entre outros pontos, que somente 22% dos leitores – o que corresponde a 12% dos brasileiros – consomem romances ou contos. Por outro lado, a mediadora Bianca Ramoneda, que também apresentou o Prêmio IPL nos últimos anos, chamou atenção para a existência de iniciativas de incentivo à leitura exitosas e transformadoras para o público atendido por elas. “Todos os anos, no Prêmio IPL, vejo inúmeros projetos que fazem a diferença - círculos de leitura na Amazônia, clubes de leituras em presídios e tantos outros”, diz. Durante a conversa, Zoara, do IPL, também falou de alguns dados do mais novo levantamento feito pelo Instituto: a Retratos da Leitura em Bibliotecas Escolares, que avalia o impacto das bibliotecas nas instituições públicas de ensino, medido pelo desempenho dos alunos na Prova Brasil. “A biblioteca é vista pelo brasileiro como um local para estudar. 48% dos adolescentes têm acesso ao livro somente pela biblioteca escola, 61% das escolas brasileiras não possuem biblioteca. Se você olhar para a zona rural, 80% das escolas não têm biblioteca. Então a gente enfrenta uma questão muito importante que é o acesso ao livro, que é muito grave neste país”, comenta Zoara. A conversa ainda seguiu com depoimentos de Walcyr sobre como a Emília de Lobato o transformou em um compulsivo leitor. Em sua fala, a autora Ana Paula relatou como as leituras vazias da de significados sobre a realidade vivida por ela a levaram a escrever. “Não dá para contar tudo o que aprendemos , mas ao refletir sobre essas a trajetórias Retratos da Leitura lembrando que somente 12% dos brasileiros são leitores de literatura, ficou uma pergunta: como possibilitar que outras crianças brasileiras, cujas famílias não são leitoras e não têm acesso aos livros pois não têm bibliotecas nas escolas, possam se encantar com um livro que vai despertar seu gosto pela leitura e, até, pela escrita?”, conclui Zoara.



Você também pode gostar