PROJETO
Curitiba Lê

Natureza do projeto
Formação de mediadores ou agentes de leitura, Promoção do acesso ao livro (feiras, blogs, sites etc), Criação / aperfeiçoamento de espaços da leitura/bibliotecas, Formação de leitores em geral e de leitores de literatura, Valorização / campanhas de promoção da leitura, Outra natureza do Projeto

Finalista 2019

Organização responsável:
Fundação Cultural de Curitiba


Categoria da organização
Órgão público




O Programa Curitiba Lê é composto por um conjunto de ações de fomento, difusão e formação na área de leitura e literatura, que visam aumentar quantitativa e qualitativamente os índices de leitura entre crianças, jovens e adultos. Ver mais informações em: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/literatura/programas/curitiba-le


A partir de seus 17 espaços de leitura, o Programa Curitiba Lê promove ações gratuitas para a comunidade, tanto nas Casas da Leitura quanto nas Instituições atendidas, oferecendo rodas de leitura e contações de histórias, laboratórios de leitura, palestras, debates e oficinas de análise e criação literária, acolhendo toda a diversidade de público existente, da pessoa em situação de rua ou em tratamento de saúde aos alunos das escolas e seus professores.


Objetivo geral: ampliar os índices de leitura entre a população, de forma quantitativa e qualitativa, por meio de atividades de promoção da leitura , buscando formar uma comunidade de leitores cada vez mais ampla.


Ampliar o acesso da população ao livro e à leitura; despertar o interesse das pessoas pelo livro e pela leitura; descentralizar e disseminar as ações de leitura por toda a cidade de Curitiba; ampliar o número de mediadores agentes de leitura na cidade; auxiliar na formação de mediadores de leitura; permitir a reflexão sobre processos criativos nas oficinas de análise e criação literárias; auxiliar na formação de leitores autônomos e críticos.


Em virtude das estatísticas preocupantes em relação ao índice de leitura da população do país, a cidade de Curitiba, por meio da Fundação Cultural, preocupada e entendendo a importância de iniciativas para mudanças nesse quadro, iniciou um processo de enfrentamento desta situação em 2006, com a implantação da primeira Casa da Leitura. A partir de então dava-se início ao processo que poderia permitir a ampliação do número de leitores na cidade, por meio de ações de incentivo à leitura, qualificação e aumento do número de espaços de leitura.


Lançamento de editais públicos para selecionar projetos de Rodas de Leitura, Contação de Histórias, Laboratórios de Leitura (para formação de mediadores) e Oficinas de Análise e Criação Literária; novo layout e compra de acervos específicos de literatura e artes para os espaços, que passaram a se chamar Casas da Leitura; contratação de pessoal para atendimento aos leitores e mediadores de leitura para planejar e realizar atividades de promoção da leitura nos espaços e comunidade do entorno, descentralizando as ações, que ocorrem em toda a cidade, de forma gratuita, durante todo o ano, para todas as faixas etárias; implantação de sistema de empréstimo de livros com cadastro único de leitores para todos os espaços e consultas/renovação via internet.


Principais inspirações ou referências teóricas e práticas



Referência teórica: O direito à literatura - Antonio Candido; livros e artigos de Eliana Yunes sobre leitura e formação do leitor Avaliação: formulário específico desenvolvido para avaliação de cada atividade pela instituição parceira, com posterior compilação em estatística e relatório próprio, que é passado ao setor de Planejamento da FCC para compor os relatórios de gestão.


Curso Agentes de Leitura, organizado para a FCC pela ONG Leia Brasil, em 2007. Desde então é realizada formação continuada de toda a equipe, quinzenalmente, com cursos de capacitação e conversas técnicas realizadas por profissionais da área, como Eliana Yunes, Francisco Gregório, Fabíola Farias, Pierre Ruprecht, Rosana Montalverne


Entre as pessoas que participaram da consultoria e assessoria técnica para criação do Programa estiveram a escritora Luci Collin , a Prof. Marta Morais da Costa (UFPR), Jason Prado (ONG Leia Brasil) e a prof Eliana Yunes (Cátedra Unesco de Leitura - PUC/RJ).


projeto Casa da Leitura, do Rio de Janeiro.https://www.bn.gov.br/visite/espacos/casa-leitura


Cortes no orçamento e redução de equipe. Garantia de continuidade do programa como política pública municipal para a área.


Apesar das mudanças dos dirigentes municipais, o programa continua se mantendo como política pública de leitura, pelo apoio que tem da comunidade atendida e consistência das ações.


Todas as ações de leitura propostas pelo programa são avaliadas pelos participantes por meio de formulário próprio. Há ampla e constante divulgação dos resultados por meio da assessoria de comunicação social da FCC e Prefeitura Municipal de Curitiba, veiculadas através do portal da Prefeitura Municipal, redes sociais do município e imprensa.


O Programa Curitiba Lê foi referenciado pela Cátedra UNESCO de Leitura como exemplo de programa que contribui para a transformação social por meio da formação de leitores Um de seus projetos, "Palavra de Mulher", foi um dos finalistas do Prêmio Vivaleitura de 2014 - https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/projeto-palavra-de-mulher-esta-entre-os-fin


Apesar das dificuldades o projeto é referência como política pública de leitura, servindo de inspiração para outros municípios e áreas. Em virtude desse reconhecimento por parte da comunidade o programa se mantém, graças ao interesse da comunidade pelo trabalho que é feito. Os projetos são realizados por meio de editais públ e de pessoal próprio.


O Programa Curitiba Lê foi selecionado para participação no 11º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, em 2019, com apresentação de painel, com ótima repercussão.





Sim, o Projeto acontece atualmente


Brasil - Região Sul - PR - Curitiba


estudantes, comunidade em geral, trabalhadores, população institucionalizada - presídios ou unidades de menores que cometeram infração, população institucionalizada - orfanatos, hospitais, asilos etc., crianças, outras, adolescentes/jovens, educadores (professores, coordenadores, diretores, etc)


0 a 5 anos, 6 a 12 anos, 13 a 17 anos, 18 a 59 anos, mais de 60 anos


feminino, masculino, transgênero

Número de pessoas atendidas


1347614


111763


146976


181779


25


o número médio de participantes nas nossas atividades é de 25 pessoas.

Equipe


1


0


0


1


0


11


23



Informe se o projeto conta somente com recursos próprios (100%) e/ou se conta com patrocínios ou outros apoios financeiros. Se possível, informe (entre parênteses) como esses recursos se distribuem percentualmente para custear o projeto

100


0


0


0



Quais organizações e/ou instituições são parceiras e como apoiam o projeto

O programa é mantido pela Prefeitura Municipal, Fundação Cultural de Curitiba e Instituto Curitiba de Arte e Cultura (O.S. com contrato de gestão com a FCC). Uma parte das atividades são provenientes de projetos que receberam apoio financeiro de leis de incentivo municipais, estaduais e federais


A Prefeitura de Curitiba conta com um contrato de gestão com a OS Instituto Curitiba de Arte e Cultura desde 2012, responsável pela contratação de funcionários que atuam nas Casas da Leitura, desenvolvem ações de incentivo à leitura e oficinas.


Eventualmente recebemos apoio de outras secretarias do município ou do estado para a realização de alguns eventos.


Eventualmente são realizadas parcerias com outras instituições, como universidades, associações, organizações da sociedade civil, consulados e outras, para realização de eventos ou projetos em conjunto.


Há doações de livros por parte da população e instituições, os quais são direcionados para as Casas da Leitura, bibliotecas comunitárias e prisionais.

Cadastrado em: 09/19
Atualizado em: 19/09/2019