Notícias
< voltar

Prêmio IPL 2018: mais uma vez reunidos para celebrar a leitura

11/12/2018

Prêmio IPL 2018: mais uma vez reunidos para celebrar a leitura

Terceira edição da premiação foi marcada por emoção e muitos projetos exitosos de incentivo à leitura Na noite do dia 10 de dezembro, a Unibes Cultural, em São Paulo, recebeu a terceira edição do Prêmio IPL Retratos da Leitura. Durante duas horas, o palco da instituição se transformou em um templo da leitura. Em um mesmo espaço estavam reunidas autoridades, representantes da cadeia produtiva do livro, de bibliotecas, organizações da sociedade civil e da mídia. A jornalista e dramaturga Bianca Ramoneta foi escolhida mais uma vez para comandar a cerimônia e, logo após dar as boas-vindas aos presentes,, passou a palavra para o presidente do Instituto Pró-Livro e da Câmara Brasileira do Livro, Luís Antonio Torelli, que agradeceu a presença de todos e falou sobre os objetivos da premiação. “Esperamos que essas ações que foram selecionadas, por especialistas, como as mais exitosas do Brasil no fomento a leitura inspirem outros projetos e contribuam para conquistarmos os 44% de brasileiros que não são leitores, a descobrirem o poder da leitura”, diz. “Esperamos, também, ao dar visibilidade a essas ações juntarmos forças e mostrarmos que não estamos sozinhos para enfrentar esse desafio Representantes dos mantenedores do IPL também subiram ao palco para ressaltar a importância do trabalho desenvolvido pelo Instituto Pró-Livro, são eles: José Ângelo Xavier, da Associação Brasileira dos Editores de Livros Escolares (Abrelivros), Luís Antonio Torelli, da Câmara Brasileira do Livro e Marcos da Veiga Pereira, do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). Ao ser questionada pela apresentadora Bianca, Zoara Failla, coordenadora do Prêmio IPL, falou sobre a importância da Plataforma Pró-Livro, desenvolvida pelo IPL para o mapeamento de projetos de leitura realizados no Brasil e para receber as inscrições para o Prêmio e ainda destacou os números desta edição, a diversidade e a qualidade encontrada nos trabalhos inscritos. “Tivemos 300 projetos inscritos, um número quase 40% maior do que na edição anterior, mas o que nos emocionou mesmo foi a qualidade dos projetos”. Zoara lembrou os objetivos que o IPL tinha em 2018, de criar conexões entre os projetos. “Acredito que atingimos nossa meta, mesmo sem promover encontros presenciais, o que seria difícil dado, felizmente, os projetos acontecerem de Norte a Sul do país. No entanto distribuímos informações e relatos dessas experiências  por meio de nossas newsletters, que chegam a mais de 2000 pessoas do universo do livro”, diz. Para 2019, a expectativa do IPL é de promover assessoria ou formação para aqueles projetos que sentirem necessidade de aperfeiçoamento ou de rever metodologia ou estratégias. “Muitos não concluíram o cadastro e não foram habilitados para o Prêmio, apesar de serem interessantes, pois têm dificuldades para essa formulação. Nosso próximo desafio, portanto, é ajudá-los a qualificar melhor as iniciativas”, diz a coordenadora da premiação. Bianca chamou ao palco, para homenagem e agradecimento pelos dos mantenedores do IPL, Mauricio de Sousa, o pai da Turma da Mônica. Ela fez a pergunta que todos gostariam de fazer:  “Qual a importância desse Prêmio que valoriza quem promove a leitura ?” Qual a importância de se promover a leitura ? Ele respondeu emocionado: “Penso que tudo que eu fiz, faço e ainda vou fazer eu devo à leitura, nasci numa casa cheia de livros, eu via meus pais escreverem. Aprendi a ler com história em quadrinhos, fui para as aventuras, os romances. Na minha juventude eu lia um livro por dia”, diz.  “Tudo o que eu faço eu devo à leitura. Fico agradecido por permanecer patrono do Prêmio e continuo com esse sagrado vício de leitura! Que bom!”. A cerimônia seguiu com  a entrega das menções honrosas. A primeira delas foi para a Biblioteca Parque Villa Lobos. Premiada internacionalmente, a biblioteca é um exemplo de projeto integrado, em que as instalações, a concepção pedagógica e as atividades oferecidas tornam seu espaço um verdadeiro oásis cultural.   Em seguida, a ONG Mais Diferenças também foi homenageada, pelo projeto Livro, Literatura e Biblioteca Para Todos, que  contribui para a eliminação de barreiras e democratização do acesso à leitura para todos, além de inserir as pautas da acessibilidade e da inclusão no debate público sobre livro, literatura e bibliotecas. Para saber mais sobre os homenageados, clique aqui. Depois, foi a hora de os 41 finalistas subirem ao palco. Organizados pelas categorias do Prêmio: Cadeia Produtiva,  Organizações Sociais Civis; Mídias e Bibliotecas. Eles receberam os selos , que os qualifica como finalistas, das mãos de membros da comissão que avaliou os projetos inscritos e habilitados a concorrer. Confira aqui os finalistas do prêmio. E o momento mais aguardado da noite foi marcado por muita emoção: a revelação dos 12 vencedores. Os homenageados foram chamados um a um para receber o troféu das mão dos jurados e diretores do IPL, que se revezaram. Havia projetos dos mais diversos cantos do Brasil, de grandes instituições e de pessoas que vencem muitos desafios para conseguir  sobreviver, mas todos com um elemento comum que os move a continuar: a vontade de transformar vidas por meio da leitura e do livro. Para conhecê-los, clique aqui.



Você também pode gostar